fbpx
[vc_row el_id="1529644251692-8ea56a75-daaa"][vc_column el_id="1529644251700-b66778f4-dad1"][vc_column_text]O amor é aquele ingrediente invisível, porém perceptível. Ele impede a mãe de lançar o filho pela janela e o pai de estrangular a filha. É o que dá um empurrão nos pais para aceitarem o filho homossexual. Cria grupos de proteção aos animais. ELE PRODUZ UMA SUBSTÂNCIA CHAMADA RESPEITO! Não usa armas químicas e mata por asfixia, como aconteceu na Síria. O amor não usa armas, porque ele desarma a morte. Tem o poder de nos colocar no lugar do outro… Como se sentiria o colega de trabalho, companheira, irmão, amiga ao saber que eu fiz algo contra eles? As crianças que comeram alimentos estragados? Os dinheiros gastos com shows caríssimos a custa do dinheiro público, onde o professor não recebeu o seu salário? As empresas estão carentes de amor! Por isso a carne é fraca. Indústria alimentícia precisa colocar doses generosas de amor em cada pacote de bolacha, quilo de açúcar, litro de leite… Como seria se os políticos estudassem sobre ele? O que é? Como aplicá-lo? Porções generosas nas famílias resolvem problemas com notas vermelhas na escola, falta de respeito nas ruas e traições a si mesmo… O amor falta nas empresas porque as pessoas estão vazias dele. Portanto, acredito que ele deve ser ensinado em casa, mas também constar na grade curricular das escolas a disciplina AMOR. E você o que acha? Feliz Páscoa![/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Sou escritora, com publicações na Europa, Colunista, Life Coach e Consultora de Relacionamento, Sexualidade, Carreira, Palestrante para empresas, universo feminino e casais. Sou ainda orientadora Sexual formada pelo Cesex – filiado a WAS (World Association Sexology), tenho Formação Internacional em Análise Bioenergética (in training).