fbpx
Postado por Selma Arau No comments

A maioria de nós não é muito bom em aceitar o fim. Raramente, quando se trata de amizades, parentes e, principalmente, relacionamentos fracassados, conseguimos dizer adeus.

No sentido literal, às vezes temos que ir até alguém e nos despedirmos dela. É difícil, eu sei. Muita gente acredita que quem tomou a decisão de se separar não sofre, mas sofre duas vezes!

É ruim esse tipo de situação, nós fazemos laços com facilidade e na hora do adeus, embora ele seja necessário, o apego, medo de ficar sozinha e não encontrar outra pessoa te prende.

Mas no sentido mais profundo da partida, a verdade é que precisamos libertar nossa mente da toxicidade e apego.

É difícil, eu já vivi isso inúmeras vezes. 

Às vezes, encontramos pessoas que nos deixam incontrolavelmente feliz e colocamos nosso esforço para desenvolver essa felicidade. Mas nem sempre a gente é tão feliz assim. Nem sempre o amor é correspondido, nem sempre há esforço de ambas as partes.

A vida nos traz desgostos e raramente sabemos como lidar com isso. Mas a única maneira real de superar é fazer exatamente isso… lidar com isso. Mas não no sentido masculino desatualizado de “cabeça pra cima” ou “supere isso logo”, “pare de chorar por isso” ou “não seja idiota por sofrer por isso”, mas sim aceitar o fim.

Chore. Não há problema em ficar triste, mas entenda que em algum momento, sua mente, seu corpo, sua alma e seu coração vai fechar a porta. Se é uma pessoa, sinta falta dela. Do mesmo modo que eles demonstraram amor por você, demonstre amor por si próprio.

Se é uma pessoa, diga adeus aos momentos que ela não quis lhe ajudar, como ela te deixou na hora errada. Diga adeus aos momentos que você se sentiu sozinho e pequeno, momentos que fizeram você se sentir insuficiente.

Diga “oi” para a sua nova vida, mesmo que demore um pouco para você se sentir melhor, se amar mais. Dê boas-vindas para as possibilidades.

Não, não é fingir que você é uma pessoa fria e sem sentimentos. Não se trata de apagar o passado.

É sobre levar tudo em consideração e, como em um filme em VHS, assistir do começo ao fim e, no final, jogar a fita fora, entendendo que a dor uma hora vai embora, que você é incrível e que irá encontrar alguém muito melhor.

Afinal, você já tem você e, mesmo que você não veja agora, é tudo o que você precisa neste momento, o resto é apenas um bônus da vida.

Diga adeus. Feche a porta. Siga em frente.


1 Comentário

Não há comentários sobre este post ainda. Seja o primeiro!

Deixe um Comentário

Sou escritora, com publicações na Europa, Colunista, Life Coach e Consultora de Relacionamento, Sexualidade, Carreira, Palestrante para empresas, universo feminino e casais. Sou ainda orientadora Sexual formada pelo Cesex – filiado a WAS (World Association Sexology), tenho Formação Internacional em Análise Bioenergética (in training).