fbpx
Postado por Selma Arau No comments

Você sabe quais são os sinais de um relacionamento abusivo? Sabia que muitas mulheres só descobrem que tinham uma relação abusiva depois que se separam? Porque elas quando estão ali junto, na relação, se perdem, ficam confusas e pensando “um dia ele muda”, “homem é assim mesmo”,  “será que ele gosta de mim?” 

Toda mulher merece um relacionamento saudável e com prazer sexual, ter um parceiro de vida, que a respeita, admira, comprometido com a relação. Assim como todo homem merece receber o mesmo da mulher.

Entretanto, essa não é a realidade, pois a falta de amor próprio no homem, sim, todo mundo acha que só nós mulheres temos que ter amor próprio. Isso é machismo e o maior causador de violência física, emocional, sexual, mental contra a mulher e até a prática de feminicídio.

Um homem que não se ama jamais vai respeitar uma mulher, ele ainda vai ser uma pessoa insegura e usará da sua força para resolver a situação.

Outros fatores, como a independência e o empoderamento femininos, nem sempre agradam a esse tipo sem amor próprio de parceiros de relacionamento. O machismo e algumas convenções “tradicionais” continuam bem arraigadas em nosso meio. 

Como identificar esses sinais? Como fazer para fugir desse tipo de relação

Muitas mulheres sequer se dão conta de que estão em um relacionamento abusivo — ou sabem, mas têm dificuldade em sair dele. Mas vou te entregar neste texto algo muito importante… Então, continue até o final.

Sinais de que você pode estar em um relacionamento abusivo

1. Ciúme exagerado e obsessão

O ser humano é ciumento por natureza. Alguns em níveis mais altos, outros em níveis quase imperceptíveis. No entanto, há um tipo de ciúme preocupante: o que chega a ser uma obsessão. 

Esses casos começam a ser percebidos quando o parceiro quer privar sua companheira de sair — e até falar! — com amigos e amigas, de ver a família… Se ela conversa com alguém “desconhecido”, ele já imagina que está sendo traído… Vigia a parceira, fiscaliza as coisas pessoais dela. Sempre há uma justificativa para isso: a de amar demais e querer cuidar. 

2. Comportamento manipulador

Esse tipo de comportamento demora para ser percebido. A manipulação ocorre em situações em que a pessoa mexe e brinca com as emoções da vítima. Por exemplo: quando tem uma atitude violenta e o par decide terminar, o manipulador se faz de arrependido, se mostra super carinhoso e diz que nunca mais vai fazer aquilo de novo.

Outro caso é quando ele humilha a vítima, a chama de feia, burra ou algum outro adjetivo que a perturbe, e diz que ninguém vai querer ficar com ela além dele. Ou seja, ele diminui a mulher para convencê-la que ninguém a quer, só ele, o único a ficar com ela… Logo, ela tem que concordar com as atitudes dele. Jamais acredite nisso, POR FAVOR!.

Outra característica bem marcante do manipulador é que ele sempre diz que vai pedir ajuda, mas nunca faz isso. 

3. Perseguidor

Conhecido também como “stalker”, esse tipo de pessoa persegue a companheira em todas suas redes sociais, verifica e-mails, mensagens de textos e a obriga a compartilhar suas senhas. 

Aqui a manipulação se junta à perseguição, pois geralmente ele usa “se você me ama mesmo, compartilha suas coisas comigo”. 

Por que muitas mulheres continuam num relacionamento abusivo?

Bem, há vários motivos pelos quais mulheres se submetem à possessividade de seu companheiro. Apontamos algumas das mais comuns:

  • dependência financeira: infelizmente ainda existe — e muito — casos em que a mulher depende financeiramente do homem. Muitos convencem sua parceira a ficar em casa e “cuidar do marido”. Ela acaba ficando em casa e cuidando dos filhos, abandona a carreira e quando se dá conta, não tem uma fonte de renda, não terminou os estudos e o mercado está aí, bastante exigente quando se trata de formação profissional. 
  • falta de apoio: é claro que existem situações diversas, mas uma bastante comum é de a família ou amigos não acreditarem que a mulher está sofrendo em um relacionamento abusivo. Primeiro, porque aos olhos dos outros, o companheiro pode parecer o marido perfeito: atencioso, romântico… Segundo, porque ele também consegue manipular outras pessoas, principalmente da família.
  • medo de agressão: ameaças físicas são bastante comuns em relacionamentos abusivos — e aqui, há um agravante: os filhos muitas vezes também são ameaçados. Lembrando que isso sempre vem acompanhado de desculpas e promessas de “nunca mais”.

O que a mulher precisa fazer para sair de um relacionamento abusivo?

Ela precisa aprender a se amar para descobrir que merece um homem amoroso, que a respeita e deseja como mulher, além de querer uma relação saudável e cheia de alegria.

Sem amor próprio essa mulher vai atrair um homem igual a ela. Só que, enquanto ela não se ama e sua atitude é de aceitar as ofensas dele, ele não se ama e a atitude dele é de ofender.

Por isso, aprenda a se amar e você verá algo nunca visto, o quanto você é merecedora do que há de melhor nesta vida em todas as áreas.

Cerque-se de pessoas que te apoiem nessa jornada de se amar!

Busque ajuda!

 Descubra a pessoa maravilhosa que você é. Recomece: mude atitudes, volte a estudar e ame-se tanto a ponto de nunca mais deixar alguém agressivo, possessivo e obsessivo se aproximar de você.

Que tal começar agora? Conheça meu projeto Mulheres Bem e Amadas, um curso que criei para que mulheres se voltem à sua cura interior e se redescubram como um ser único e especial. 

Quer deixar seu comentário? Use o espaço abaixo e vamos trocar algumas ideias.


1 Comentário

Não há comentários sobre este post ainda. Seja o primeiro!

Deixe um Comentário

Sou escritora, com publicações na Europa, Colunista, Life Coach e Consultora de Relacionamento, Sexualidade, Carreira, Palestrante para empresas, universo feminino e casais. Sou ainda orientadora Sexual formada pelo Cesex – filiado a WAS (World Association Sexology), tenho Formação Internacional em Análise Bioenergética (in training).